5 Motivos para sua família te apoiar na decisão de voar.

Nem sempre é fácil compreender uma decisão tão complexa. Voar, para muitos, ainda é um mistério, muitos medos e incertezas rodeiam esta questão.

Se você deseja seguir a profissão de aeronauta e não conta com o apoio total da sua família, tire um minutinho do seu dia e mostre pra eles esta lista de 5 fatos que explicam o cotidiano de uma aeromoça, como eu. Talvez, haja uma incompreensão de motivos de ambas as partes. Não deixe de dialogar.

1 – Comissários de bordo tem vida social: É possível casar, ter filhos, fazer uma faculdade, ser presente na vida dos pais, voando. É só uma questão de adaptação da escala de serviço com os compromissos cotidianos. Além disso, por regulamentação, podemos solicitar com antecedência 4, das 9 folgas mensais. E 2 destas 9 folgas podem ser no final de semana (sexta e sábado, sábado e domingo ou domingo e segunda). Elas são chamadas de folgas sociais. Outras profissões “terráqueas” são, muitas vezes, mais complicadas de serem conciliadas com a vida pessoal. Como por exemplo, a dos médicos.

2 –Os aviões caem, mas os carros batem muito mais: E só dizendo desta forma é que as pessoas compreendem que as qualificações para se tornar piloto de avião e comissários de bordo são muito mais criteriosas do que para condutores de carros. As estatísticas mostram que as estradas são tão perigosas que o número de mortes equivale a um desastre de avião por dia! Entretanto, os desastres de avião chocam mais e mobilizam sentimentos de terror nas pessoas que já tem medo de voar. Além disso, existem muitos, mas muitos Comissários de bordo e pilotos aposentados! Risos…

3 –O salário e os benefícios são superiores aos trabalhos que só exigem nível médio: E a profissão de Comissário e Piloto exigem somente o nível médio. É claro que você precisa fazer o curso de formação nas escolas credenciadas pela Anac e os cursos custam caro. Mas o retorno, quando você se coloca no mercado, é relativamente rápido, desconsiderando os custos com mudanças de base, caso você não more na base contratual da sua empresa.

4 – A experiência de vida adquirida é absurda: Por experiência própria, entrei na aviação com 20 anos, estou com 28 e me sinto capacitada para as mais diversas situações-problema. É claro que este aprendizado é relativo, mas se você souber aproveitar cada experiência, absorver as histórias que escutamos por aí e principalmente vivenciar as adversidades com o peito aberto, você vai longe!

5 – Você e sua família viajam a preços módicos: Quer motivo melhor? Para quem ama viajar e tem uma família que gosta de acompanhar, as empresas concedem um benefício que difere de companhia para companhia, mas em linhas gerais você paga uma tarifa reduzida + taxa de embarque. Fica sujeito à disponibilidade de assentos no avião, mas tem a liberdade de escolher qualquer destino que a Cia que você trabalha oferece. É só não viajar na alta estação, olha só que maravilha.

O que você está esperando para incentivar o seu filho/filha a embarcar nesta nobre aventura? Deixe ele criar asas e voar pelo mundo, apenas lhe dê as mãos.

 

 

 

 

Compartilhar

Deixe uma resposta