6 Dicas para conquistar as crianças do voo

O terror de toda aeromoça ou comissário de voo é aquela criança que não pára de chorar um minuto. Nada mais desgastante do que, preparados para a decolagem, ter que gerenciar o psicológico de uma mãe que não consegue manter o seu filho no cinto de segurança porque ele está inquieto. Há também quem se apavore com os incansáveis dedinhos minúsculos a apertar constantemente a chamada de Comissários, só para ver a luzinha se acender e o som característico tocar. Mas calma! Eu tenho a solução para seus problemas.  Seja você Comissária (o),  mãe desesperada, passageiro injuriados ou apenas uma  criança entediada. Aprenda aqui seis maneiras de entreter/conquistar uma criança no seu voo.

  1. Tenha sempre na sua briefcase de voo lápis de cera. Esta é uma técnica infalível que funciona muito bem no momento do serviço de bordo. Prefiro usar lápis de cera antialérgico, pois não tem pontas agudas e servem tanto para os menores de 3 anos como para os maiores. Além de ser lúdico e extremamente relaxante (inclusive para os pais), a pintura vai manter os pequenos entretidos durante boa parte do vôo. Atente-se apenas para que as mesinhas e estofados da aeronave não sejam danificados.
  2. Conte histórias. Não há problema em liberar a imaginação da criança, com histórias fantásticas sobre um grande pássaro voador que transporta pessoas. Você pode mostrar partes da aeronave e lhe contar o porquê da necessidade daqueles equipamentos, se o voo for muito longo. Eles adoram conhecer a “cozinha” do avião e de quebra ganhar aquele docinho que não está previsto no cardápio do serviço de bordo daquela etapa.
  3. Utilize o material da aeronave como matéria prima para confeccionar brinquedos. O saquinho de enjôo ou a luva de recolhimento do lixo podem virar um pequeno balão. A bandeja de isopor da refeição da tripulação pode ser um quadro branco para desenho e, com a ajuda de uma caneta, se transformar num aeroporto ou avião. Libere as asas da sua imaginação e dos pequeninos (confira exemplos no final do texto).
  4. Com a autorização dos pais, ofereça o serviço de bordo para a criança antes de todos os passageiros e diga que o Comandante pediu para entregar especialmente para ela. As crianças costumam entrar na aeronave ansiosas pelo lanchinho. Muitas vezes, não dá tempo de comer nada no aeroporto ou pode ser a primeira vez que eles andam de avião. E quem não gosta de ser tratado com cuidado especial, não é mesmo?
  5. Deixe que a criança tateie a máscara de oxigênio do kit de demonstração de segurança e faça perguntas desafiadoras sobre o que ele aprendeu naquele voo, como por exemplo, onde ficam os assentos flutuantes e a saída mais próxima. As crianças costumam ficar muito mais atentas às informações do voo do que os adultos e podem ser poderosas aliadas em caso de emergência.
  6. Em caso de turbulência, deixe que a criança imagine que está numa montanha russa ou que se divirta com a movimentação da aeronave, desde que esteja em segurança, com o cinto de segurança afivelado. Afinal, não há motivos para alimentar o medo quando todo o voo pode se tornar uma grande brincadeira.

É claro que nenhuma dessas técnicas é tão eficaz quanto a atenção e o carinho dos pais. E que é dever da família a educação das suas crianças e a orientação de como devem se comportar. O que recomendamos é que os pais tragam um brinquedo favorito da criança, de preferência que não emita sons, e que conversem com elas sobre o que podem e o que não devem fazer em um ambiente público confinado, como uma aeronave. Entretanto, isto não nos exime da responsabilidade pela segurança e bem estar dos pequenos e de todos a bordo. Certamente será um diferencial no seu atendimento ao passageiro mirim, tão importante como todos os demais.

Criar joguinhos e brinquedos com material disponível no voo, é uma ótima opção para conquistar os pequenos.
Compartilhar

Deixe uma resposta