8 coisas que o Comissário de voo nunca deve dizer ao passageiro

Eu já te contei os 7 segredos de uma comissária de vôo para encantar o passageiro. Já te dei 6 dicas de como conquistar as crianças no vôo e tornar a experiência de voar muito mais tranqüila e divertida, tanto para as crianças, como para quem estiver em busca de um vôo tranquilo. Agora, vou te contar 8 coisas que você jamais, em hipótese alguma, deve dizer ao passageiro. Certamente serão dicas de ouro pra você não cometer gafes a bordo.

  1. Brincadeiras que envolvam acidentes aeronáuticos. Este tipo de brincadeira é tão desagradável que deve ser evitada dentro e fora do avião. Sempre tem aquele engraçadinho que diz que se o avião cair, ninguém sobrevive. Nesse caso, todo nosso treinamento, as regras e estudos envolvendo segurança de vôo ficam invalidados. Acaba sendo uma grande falta de respeito com os profissionais da aviação e com os passageiros, principalmente aqueles que estão voando pela primeira vez.  Pesquisas apontam que a probabilidade de acontecer um acidente com veículos automotivos é 500 vezes maior do que um acidente de avião e ninguém entra num carro falando que vai colidir, não é mesmo?
  2. Mencionar a palavra “fogo”: Numa aeronave pressurizada, com combustível nas asas e em vôo de cruzeiro, o fogo é a emergência mais perigosa e pode levar uma aeronave a um pouso forçado em poucos minutos. Então, se a cabine estiver muito quente, não diga que a cabine está “pegando fogo”! Essa expressão pode gerar um mal entendido a bordo e evoluir para um tumulto que poderá se tornar uma emergência real.
  3. Pedir calma, quando o passageiro está estressado. Ele pode ter tido problemas ao adquirir a passagem, ao despachar a bagagem ou na sala de embarque, não importa. Quando ele entrar no avião furioso, deixe-o desabafar. Se o problema for com a empresa, você será sua primeira válvula de escape pelo simples fato de estar vestindo um uniforme. Caso não consiga contornar a situação, alterne o atendimento ao passageiro com outro comissário. Mas evite pedir que se acalme ou interrompê-lo com desculpas. Isto provavelmente irá inflamar a sua vontade de reclamar.
  4. Só mencione a palavra “turbulência” em último caso. E claro que cada caso é um caso. Pode parece bobagem para quem está habituado a viajar, mas a maioria das pessoas tem medo da turbulência, que é a movimentação da aeronave devido as correntes de ar. Pode chegar ao grau de turbulência severa, mas dificilmente derruba um avião. Quando prevista, o comandante pode comunicar aos comissários ou ligar o aviso de atar cintos. Neste momento, vejo muitos olhos arregalados e mãos suadas apertando o braço das poltronas, sem necessidade. Você pode substituir a palavra turbulência por “instabilidade meteorológica” e evitar uma super expectativa em torno de algo que pode ser muito tranqüilo. Caso haja uma turbulência mais severa, use a palavra “turbulência” mesmo, para que todos compreendam que devem permanecer em seus assentos.
  5. Discutir política: O momento atual é de muita polêmica em torno do assunto. Você pode (e deve) ter sua opinião política, porém deve escolher cuidadosamente o momento e o ambiente adequado para expô-la. Imagina gerar uma discussão generalizada dentro de uma aeronave voando à 40 mil pés?
  6. Criticar religiões: A diversidade de crença é algo que encontramos entre os passageiros, os nossos colegas de trabalho e até mesmo no nosso âmbito familiar. É um direito que todos temos e deve ser respeitado. Assim como na vida, respeite a liberdade de crença de cada um.
  7. Criticar povos, regiões e culturas: O bairrismo é algo comum de se encontrar em determinadas regiões do Brasil e não há nenhum problema em ser ufanista com a sua cultura. O que não se pode ser é xenofóbico. A xenofobia é o preconceito contra pessoas de fora, ou seja, que não sejam da sua cidade, estado ou país e é crime passível e reclusão de até 2 anos. Evite piadas que alimentem estereótipos e não rotule as pessoas pela sua origem.
  8. Se o vôo está atrasado por motivos meteorológicos desfavoráveis na etapa anterior, não tem porque suprimir esta informação do passageiro. Caso haja a necessidade de uma manutenção não programada, esta deve ser comunicada aos que iriam viajar naquela aeronave, pois todos sabemos que máquinas precisam de ajustes de tempos em tempos. Há maneiras de se dizer a verdade, entretanto não se deve abrir mão dela. Lembre-se, você precisa não só tratar o passageiro como gostaria de ser tratado, mas também considerar como o ELE gostaria de ser tratado: Sem dúvidas, com respeito.

Espero que tenham gostado das dicas que se lembrem delas quando estiver voando. Faça da experiência de cada pessoa a bordo única e positiva, sempre.

Compartilhar

2 comments on “8 coisas que o Comissário de voo nunca deve dizer ao passageiro

  1. Ótimo vídeo.

Deixe uma resposta