Medo de Voar: Mais comum do que se imagina.

Por Laura Antunes.
Você é uma pessoa que sente medo de voar? Sofre quando precisa viajar de avião? Você, tripulante, recebe passageiros com medo de estar a bordo? O que pode estar relacionado com o medo de voar?
Considerando a individualidade de cada pessoa, aquilo que faz parte da história de cada um, e das vivências de cada ser humano, cada pessoa possui seus receios, suas angústias, assim como sua estrutura emocional para lidar com tais aspectos.

Entendendo o medo, entre diversas definições, como o: “Estado afetivo suscitado pela consciência do perigo, ou que, ao contrário, suscita essa consciência (medo de um animal, ao sentir a vida ameaçada); temor, ansiedade irracional ou fundamentada; receio (de tomar injeção, medo da polícia, medos infantis); desejo de evitar, ou apreensão, preocupação em relação a algo desagradável” (…), conforme nos esclarece o Dicionário Houaiss (Instituto Antonio Houaiss, Ed. Objetiva Ltda. , 2001) , vamos aqui olhar para o medo de voar.

Podemos considerar que há diversas aflições e medos “por trás” do medo de voar; aqui, gostaria de mencionar três deles que estão diretamente ligados a esse medo.

O medo de altura (acrofobia), o medo de ficar em lugar fechado (claustrofobia), e o medo de não ter controle da situação, ou seja, de não conseguir ficar tranquilo como passageiro.

Quando paramos para pensar e olhamos friamente, a aeronave de asa fixa, por exemplo, é um tubo fechado; não é possível para o passageiro abrir a porta ou uma janela no momento em que sentir vontade, ou quando precisar; o avião é fechado, e precisa ficar assim para que a segurança do voo, nesse aspecto, seja mantida. Assim, quem tem algum nível de claustrofobia, pode dizer muitas vezes que sente medo de viajar de avião ou que, no mínimo, não sente-se confortável para estar ali.

A questão da altura também entra na conversa. Sabemos que outros meios de transporte apresentam em suas estatísticas de acidentes números bem mais altos do que os associados aos transportes aéreos. No entanto, esse transporte – o avião – é um transporte que transita em um ambiente que não nos é comum – devemos lembrar que muitas vezes aquilo que é estranho já nos causa um certo receio – o altímetro mostra 30 ou 40mil pés de altitude! Isso assusta, incomoda muita gente e gera desconforto.

O terceiro aspecto aqui relacionado ao medo de voar é o fato de que, para várias pessoas, é bastante difícil ficar no lugar de passageiro, no sentido de, naquele momento, ser aquele que não possui controle e relação a nada do que possa ocorrer ali durante o voo, com a aeronave. Em um voo, enquanto passageiros, ficamos nas mãos do comandante e do co-piloto, por exemplo, e não são todas as pessoas que conseguem ou que se sentem confortáveis sendo passageiras. Podemos sentir medo nas situações nas quais explicitamente não podemos ter controle em relação ao que se passa ali naquela situação. Estamos, no voo, sendo levados.

O medo traz sintomas variados, físicos (sudorese, palpitações, diarreia, náuseas, por exemplo) e emocionais (angústia, insegurança, sensação de vazio no estômago, por exemplo).

Muitas pessoas sentem alguns desses sintomas e sofrem ao terem que viajar de avião. Há tratamentos que podem ajudar, alguns diretamente focados na questão específica desse medo, como terapias da linha cognitivo-comportamental, ou terapias que são processos de autoconhecimento e de amadurecimento individual, olhando para as questões da vida da pessoa sem necessariamente especificar um contexto. Ambas podem promover mais saúde nesse sentido.

Há medicações que podem oferecer auxílio também,junto ao acompanhamento médico. Porém, há algumas orientações que muitas vezes já ajudam e podem trazer um pouco mais de conforto para aquela pessoa que precisa fazer um voo mas sente medo; algumas delas são as seguintes: procurar distrair-se, ler algo a bordo, conversar, assistir um filme; respirar profundamente antes da decolagem (que é normalmente o pior momento para muitos passageiros), entre outras orientações.

Meu desejo é o de que você passe por experiências boas e confortáveis quando for voar e que, caso esteja entre as pessoas que sentem medo, procure informação, conhecimento e ajuda profissional que achar necessária; elas de fato podem ajudar! Bons voos!

Compartilhar

Deixe uma resposta