Processos seletivos – Algumas considerações…

Não é fácil tocar neste assunto, porque falar nisso é também falar de expectativas. Fico receosa em passar receitas de bolo de como se portar nestas situações simplesmente porque cada cabeça é um mundo. E é recorrendo a este cliché que eu vos pergunto: O que dizer da cabeça de um psicólogo selecionador?

Bom, o meu noivo já trabalhou com isso mas insiste em manter este mistério do planeta, até para sua fiel confidente (que contaria seus segredos agora para vocês)!  Especulações à parte, vamos aos fatos.

Você é aprovado nas provas da escola, passa fome e sede nas sobrevivências na selva e no mar, se mata de estudar para a prova da Anac e envia seu currículo para as empresas aéreas. E aí, o que faz? Espera.  Parece loucura, mas não há muito o que fazer. Você pode clicar e atualizar todos os dias seu currículo nos sites da empresa para ver se seu currículo fica entre os primeiros para visualização, sem a menor comprovação de que isto funciona.

Google Imagens

Seus esforços agora precisam esperar. E esperar dói. O telefone toca e seu coração bate, parece até que você está esperando a ligação daquele gato que você conheceu na noite anterior. Não, parece que o Brad Pitt (vai, Lídia, entrega sua idade) vai te ligar. Mas não, ele não liga.

Sua amiga passou de primeira naquela seleção da maior companhia aérea do Brasil. DE PRIMEIRA! E você ainda espera uma ligação… E de repente, quando você menos espera, quando você tá no banho ou fazendo as unhas, eis que o telefone finalmente toca. E toca para valer.

Você agora necessita de roupas, de sapatos, de um bom currículo, de conhecer detalhes sobre a história daquela companhia aérea e, obviamente, de uma passagem aérea para ir à sede da empresa. Aí vai a dica número 1: Poupança.

Dica número 2: Respira. Você vai querer gritar, contar pra todo mundo, dar uma de Titanic na sacada da sua casa anunciando que você é a rainha/rei do mundo, mas não. Você nem passou ainda. Então, conte somente a quem realmente precisa saber.

As seleções, de maneira geral, são dividas em etapas. De maneira geral, tudo é dividido em etapas. A primeira etapa é uma grande triagem, que vai eliminar quem não tem pré-requisitos básicos. Aqui contam: Boa aparência (fazer o quê, né!); formação; inglês (fazer o quê, né!²) e indicação competências básicas.

Não, não é pra você colocar no seu currículo, na parte de competências básicas, que você é educada, simpática, proativa e bla bla blá boring. Este quesito pode ser testado através de uma redação, de uma conversa bem generalizada ou de uma dinâmica de grupo.

Na segunda etapa vem outra dinâmica, pode ser que entre aqui uma provinha de inglês e conversação ou ainda uma entrevista individual. Mas não posso e nem quero afirmar isso com certeza, porque as seleções diferem de companhia para companhia, de ano para ano, de pessoa para pessoa e cada experiência é única. Portanto, nada de receita de bolo.

Google Imagens

O importante é ser você (mesmo que seja estranho e bizarro) e saber se colocar na hora certa. Menos é mais em tudo: Roupa, gestos, salto do sapato, maquiagem e expectativas. No sorriso, você pode abusar. Sorriso é coisa séria, sorriso desmonta qualquer mau humor, investe nisso, gata. É de graça e faz bem para a pele.

Ah, outra coisa, não faz a louca. Não fica falando “ai tô nervosa” perto dos outros candidatos porque isso contamina e cria um clima péssimo. E foge desses candidatos que ficam sugando energia. Se não for sua vez, pense que sua vaga talvez não esteja ali ou talvez não seja naquele momento. Mas que ela é sua, ah, meu bem, isso ela é!

Compartilhar

Sobre Lídia Dourado

Uma Comissária apaixonada pelo que faz.

9 comments on “Processos seletivos – Algumas considerações…

  1. Nossa, parece que contei minhas angústias p vc. Vc colocou tudo que sinto. Até a parte da amiga que passou de primeira… rsrs. Que coisa, né?
    Como sempre, texto excelente.

    Bjus (”.)

  2. Adorei o blog, e realmente não podemos sair contando pra todo mundo que vamos fazer a seleção, por incrível que pareça, nunca dá certo quando a gente conta!

    E assim, continuar tentando, pois uma coisa só não dá certo se a gente desistir!

    Beijos

  3. Adorei o post Lidia. vc sempre nos ajudando com suas dicas. É assim mesmo como vc descreveu. Não vale sair contando pra todo mundo que vai participar de um processo seletivo porem, No meu caso vai ser difícil respirar quando eu for chamada novamente. No entanto p/ bem de uma comissaria temos que seguir todas etapas como vc mencionou. O que é nosso ta guardado. Com fe em Deus vai da certo.
    Bateu uma imensa saudade do nosso curso.Nossa!
    Bjs

  4. Ótimo!

    aqui vai outra dica para quem deseja trabalhar como Comissário de Bordo

    Acesse o link Comissário de Bordo

  5. Porque temos que esperar tantooo ein??????????? Acho que as companhias querem fazer algum tipo de tortura psicológica. Rs. Mas a única coisa que podemos fazer é esperar mesmo, porém também acredito que esperar não significa deixar sua vida em stand by enquanto espera, procuro sempre ler (falando nisso fiquei viciada nos livros de Ivan Sant’anna), fazer cursos, aprender mais sempre. Afinal de contas não podemos parar o tempo esperando por uma ligação.
    Beeijoos!

    • Tai, imagina a demanda também! É muita gente correndo atrás deste sonho. Mas a gente fica louquinha mesmo. O importante é não parar!
      Beijos!
      XD

  6. É verdade, concordo plenamente, não há um receita certa pra passar numa seleção, isso (como diz na reportagem) varia de empresa para empresa, do momento e também do perfil que eles procuram naquele momento.Não adianta querer ir todo robotizado lá, fazer uma seleção, e querer parecer o senhor(a) perfeição, isso soa falso, e como sabemos disso? Simples, pergunte a algum comissário(a) como foi que eles conseguiram passar na seleção? Todos já imaginamos que logo eles irão passar uma lista de coisas a fazer e não fazer, e como falar, cantar, dançar, hahahaha, etc…mas a resposta é mais simples do que se imagina: “fui eu mesmo”, é claro que não vamos exagerar e chegar lá e agirmos como fazemos em casa, hahahaha….tudo com bom senso claro!
    Mas que a gente fica nervoso a gente fica mesmo, eu ainda não cheguei nessa etapa, mas fico imaginado como vai ser (tensoooo, hahaha).
    PS: esse negócio de sair contando pra todo mundo que vai participar de uma seleção, não está com nada mesmo, sempre achei que isso não dá certo!!! hahaaha
    Ótima matéria!!!

    • Que bom que gostou, Jaque!
      Concordo contigo, naturalidade é tudo. O que é nosso está reservado por Deus!
      Um beijão.

Deixe uma resposta